imagem03-09-2021-16-09-59

Todos os dias recebo no consultório inúmeros pacientes queixando-se de dores nas pernas e inchaço em decorrência da presença de varizes nos membros inferiores. Desde sintomas leves até quadros avançados com dermatite, eczema e úlceras venosas, as varizes representam muito além de um problema estético, acometendo aproximadamente 40% a 50% da nossa população.

Já foi comprovado o caráter inflamatório da doença varicosa, fato que aumenta o risco de recorrência dos sintomas e piora o quadro clínico da doença venosa com o passar dos anos. Complicações como flebite, trombose venosa, úlcera de estase e sangramento geralmente são observadas naqueles pacientes resistentes ao tratamento clínico e dependendo do caso, nos indivíduos com doença avançada que postergam o tratamento cirúrgico.

 É importante sempre ressaltar que os principais fatores de risco para o desenvolvimento de varizes nos membros inferiores são histórico familiar, sobrepeso, obesidade, uso de anticoncepcionais orais, gravidez, puerpério, sedentarismo e atividades que exigem longos períodos em posição ortostática. Estima-se que o risco de uma pessoa evoluir com varizes é quatro a sete vezes maior se houver histórico de doença venosa em familiares próximos.

Por ser uma doença que prejudica a qualidade de vida, afastando do trabalho e reduzindo a autoestima do paciente, as varizes devem ser tratadas assim que surgirem sintomas ou que sejam identificadas veias dilatadas e tortuosas nos membros inferiores. Dores nas pernas, inchaço e sensação de peso e cansaço constituem os principais sintomas associados a presença de varizes.

 Dentre as opções terapêuticas disponíveis hoje, o laser transdérmico destaca-se pela modernidade, pela eficácia e pela durabilidade no tratamento dos vasinhos e das microvarizes. Com o advento da tecnologia a laser, é possível em alguns casos substituir o tratamento cirúrgico convencional, oferecendo ao paciente uma opção terapêutica menos invasiva e realizada no próprio consultório do cirurgião vascular.

O sucesso do tratamento de vasinhos e microvarizes com laser transdérmico, entretanto, depende do adequado planejamento terapêutico, com auxílio do doppler vascular, instrumento útil na análise minuciosa dos sistemas venosos superficiais e profundo e de suas comunicações.

Se você ainda não conhece as vantagens do laser transdérmico, procure seu cirurgião vascular e solicite informações a respeito desta tecnologia moderna, que hoje tem sido utilizada como primeira opção no tratamento estético de varizes. Abaixo destaco alguns benefícios do laser transdérmico:

  • Pode ser realizado no consultório médico;
  • Não exige internação hospitalar;
  • Não exige preparo específico pré-tratamento;
  • Não exige repouso pós-tratamento;
  • Pode ser realizado sem anestesia;
  • Agrega diversas tecnologias durante o tratamento;
  • Permite terapia combinada, aumentando a eficácia do tratamento.
  • Para mais informações a respeito do laser transdérmico, acesse o site www.drsthefanovascular.com.br.

    Prof. Dr. Sthefano Atique Gabriel*Doutor em Pesquisa em Cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, especialista nas áreas de Cirurgia Vascular, Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular e coordenador do curso de Medicina da União das Faculdades dos Grandes Lagos (Unilago)